segunda-feira, 18 de agosto de 2014

"Sansão" na Cruz


Então  Sansão  clamou  ao  SENHOR, e disse: Senhor DEUS, peço-te que te lembres de mim, e fortalece-me agora só esta vez, ó Deus, para que de uma vez me vingue dos filisteus, pelos meus dois olhos.

Por  Frankcimarks Oliveira
Pretendo com esta mensagem :

1-   Comparar a vida e ministério de Sansão com o de Cristo;
2-   Demonstrar a Graça Soberana de Deus na vida dos pecadores;
3-   Demonstrar que Cristo é o Sansão da Alma pecadora, o salvador e libertador de seu povo.

Todas  as  vezes que leio a história de Sansão me identifico muito. Como é grande a manifestação de poder na vida deste homem! Tudo na vida de Sansão foi muito intenso. Talvez por isso , mesmo sem saber quem seria esse menino, seus pais lhe deram este nome que significa “ como o sol”. E é verdade que Sansão foi grande como o sol, forte como a estrela central de nosso sistema planetário e sua luz em Deus nos revela a verdadeira  luz que brilha sobre os homens que é Cristo Jesus.

Seu  nascimento  fora  anunciado por um anjo, assim como o de nosso Senhor. Sua vida fora consagrada ao serviço de Deus, assim como a de Cristo. Ele era nazireu de Deus e nosso mestre , Nazareno. Muitos dizem que estas duas palavras possuem a mesma raiz gramatical.

Sansão  fora  chamado para ser o libertador de Israel na época em que não havia reis nesta nação. Ele fora juiz e salvador de sua gente. E ao meu ver, Sansão  fora o salvador mais  apaixonante  do velho testamento. É Verdade  que  Gideão  também é muito empolgante, mas  nenhum  deles se compara  com Sansão.

Vejo em Sansão não somente a manifestação mais poderosa do Espírito de Deus em seus dias, conferindo-lhe força descomunal para lutar contra os inimigos de seu povo, vejo  sobretudo, Graça e misericórdia como principais símbolos de seu ministério.

Não  há  figura  mais  polêmica  e  demasiadamente  humana  que este homem de Deus. Sansão é sem sombra de dúvidas um escândalo  de  Graça , tanto para seus dias como para os nossos. Nele  eu  vejo a soberania de Deus e a incondicionalidade de seu chamado e de seu amor. Sansão me consola com sua história, porque  vejo um Deus que está conosco “apesar de nossas  fraquezas ”, e não “por causa de nossa virtude”.
Sansão  era  forte  no Espírito,  mas  fraco  na  carne. Apaixonado por todas as mulheres  estrangeiras, principalmente  as  mais perigosas. Dalila era a própria serpente se enroscando em seu tornozelo. Ele amou aquela prostituta com a inteireza de seu coração, assim como Cristo ama  os  pecadores mais vis e desprezíveis.

 Sansão  revelou   seus mistérios àquela que o trairia como Judas  traiu  seu Mestre, com um beijo. Sua força vinha de Deus e em suas sete tranças residia todo seu poder. Oh, amigos, Cristo também nos revelou seus segredos mais ocultos através de seu precioso evangelho. O Deus forte deixou-se seduzir por meretrizes e  publicanos,  pecadores e inimigos seus. Nós  somos  Dalila,  somos  a “tentação do Cristo”, somos  os  responsáveis por  sua  miséria  e fraqueza,  ainda que ele é e sempre foi o Todo Poderoso.

Cristo é o Sete de Deus; Isto é, a revelação perfeita dos mistérios divinos. Todos  os segredos de Deus se descortinam na  pessoa  de  seu Filho. E a cruz foi a tesoura usada para cortar suas tranças. Sim, amigos, esta  poderosa  tesoura  cortou de alto a baixo o véu do templo que nos separava  do Santíssimo lugar onde Deus se assenta gloriosamente.

Sansão  é  tão perfeito em revelar a Cristo que sua fraqueza foi o motivo da salvação de Israel.  Foi  somente  quando foi aprisionado, que seu povo foi liberto. Foi somente quando ficara envergonhado, que seu povo fora honrado; Foi somente quando exposto ao vexame diante de todos, que removeu de sobre seus irmãos a vergonha eterna. Por acaso não foi assim com o Nazareno? Em sua força e majestade vimos muitos prodígios e milagres. Em sua força e saúde ouvimos lindas  mensagens e poderosas repreensões. Contudo foi em sua baixeza  que  Cristo brilhou como o Sol. Quando exposto a mais alta forma de humilhação e desprezo, é que de fato Cristo foi poderoso. Eis aí o grande senso de humor de Deus! Fraco, mas ainda mais poderoso pra salvar.

Foi  contado entre os transgressores e considerado o cabeça da bandidagem e rebelião. Visto que fora entronizado entre os malfeitores, bem no centro estava o justo e  inocente  Rabi  da  Galiléia. Mas o que ainda é mais marcante é que seus braços abertos demoliram todos os ídolos de nosso coração. Assim como Sansão no templo do deus filisteu, Cristo abriu seus braços na cruz e não deixou pedra sobre pedra. Pôs  abaixo  todo  o sistema   inútil  de  sacrifícios  e superstições  humanas. Cristo humilhou os principados e potestades, assim como Sansão o fez em seus dias. E sua morte  fora a razão de nossa vida.

Sansão  rogou  ao Pai : “dá-me  só   desta  vez forças” e sacrificou sua vida por amor a Israel. Suas mãos se apoiaram sobre as duas principais colunas do templo, onde estavam todos os poderosos filisteus. Toda gente que  ali  se  reunia  morreu através de um único homem escolhido por Deus.

Cristo  na  cruz  vingou  a  Deus  e cumpriu sua santa justiça contra os pecadores. Ele mesmo disse : ninguém tira a minha vida, eu mesmo a dou e torno a tomá-la. Sim, amados, eu vejo meu Sansão na Cruz, totalmente homem, com todas as limitações de homem,  clamando : Deus meu, Deus meu...e seu desamparo  me aproximou eternamente daquele que me ama ao ponto de matar seu próprio filho.

Vejo meu Sansão brilhando como o Sol no Calvário ao ponto de fazer o próprio Sol escurecer , declarando que o verdadeiro e único sol é Cristo. Meu  Sansão  Eterno destruiu o altar a Satanás que toda a humanidade  adornava.  Ele esmagou a cabeça da serpente ali no madeiro, não em sua força e onipotência, mas  em  sua  fraqueza plena. E agora , leitor, pense  comigo, se  Cristo  em  sua fraqueza fez o que fez, o que não  fará em  seu  atual estado Onipotente? Pois ele mesmo disse  após  ressurgir dos mortos : Todo o poder me foi dado nos céus e na terra.

Agora,  olhe  para  Sansão e veja a si mesmo. Console-se no fato  de que   nem mesmo os pecados deste  homem puderam afastá-lo do plano divino para sua vida. Na verdade , quem poderá nos separar do amor de Deus? – nada , nem ninguém,  nem   nós mesmos  o  podemos.  Reconheça  que você é apenas um homem ou uma mulher que pela bondade do Pai recebe forças   do  Espírito. Nada temos em nós mesmos. Só o Espírito Santo é capaz de operar em nós eficazmente. Ele é a força da nossa vida. Mesmo quando somos enredados pela tentação e pelo pecado.

Sansão orou como aquele ladrão ao lado do Senhor na cruz : “lembra-te de mim”. Pode , porventura uma mãe esquecer-se  de seus filhos? Não. Assim também  nosso  Deus tem  em  suas  mãos os cravos que lembram constantemente que morreu por nós e nossos nomes estão escritos em seu memorial.

 O  Pecado  pode  nos afastar de uma comunhão mais profunda com o Pai, mas estou bem certo que o bom filho a casa  retorna.  Assim,  Sansão  também  foi um pródigo em seus dias. Prostitui-se com as meretrizes, quase  que  comeu  das  bolotas  dos  porcos, tal  foi o estado de miséria que se encontrou, cego dos dois olhos.

É  verdade  que a Bíblia  diz  que houve uma hora em que Sansão  não  mais possuía  aquelas antigas virtudes de outrora.

 Porque ele não sabia que já o Senhor se tinha  retirado dele. (Juízes 16:20)

Graças  a Deus  que  a história  não termina por aqui. Sua oração final  é sua reconciliação com o Deus que na verdade nunca o deixara de fato. O texto diz que não havia mais  forças  nele,  porque  seu cabelo havia sido cortado. Mas logo  que  este  torna a crescer, Sansão recobra suas forças e roga a Deus que esteja com ele para cumprir seu chamado.

Amigo, se  seu relacionamento com Deus fora ‘cortado”, tenho certeza que ele tornará a crescer pela graça que já te foi dada. Já vejo em teus lábios a prece que diz: “torna-me a dar forças”.

Termino dizendo que nossa vida é um grande enigma. Estamos rodeados  de  coisas misteriosas e incertas. A vida é complexa  e nós  somos  simples demais para entendermos tudo.  Mas o que importa é entendermos o enigma que Sansão propôs. Aquele do leão  morto e do mel em cima dele.  A graça de  Deus  era  o mel sobre o leão morto . Porque Cristo, o leão de Judá , morreu e há doçura em sua morte. E porque Cristo morreu, posso comer das delícias nele inerentes.

Coma  deste mel doce e sua alma se encherá de doçura. Coma sem  medo, o leão morreu  e deixa que você vá até ele e pegue livremente de seu mel. O leão está vivo, mas continua manso e dócil para com aqueles que crêem em seu nome e no poder  de sua morte. Coma, leitor, este mel é o remédio de todo enfermo de espírito. Que Jesus Cristo nos abençoe com sua Graça infinita, poderosa, insistente, reluzente como o Sol. Amém.



Nenhum comentário:

Postar um comentário