terça-feira, 17 de março de 2015

Feitos para a Adoração


Viemos adorá-lo ( Mt 2.2)

Por  Frankcimarks  Oliveira

Pretendo com esta mensagem :

1-   Demonstrar que Cristo recebe adoração;
2-   Demonstrar que somos adoradores.

Somos “religiosos” natos . Nosso  espírito busca algo maior que a existência. Amamos coisas belas e as buscamos, ou nas pessoas ou na natureza. Sim, queridos, é de dentro de nós que nasce  a  necessidade  de  transcender  o tempo, os limites, o espaço, o agora. Observe o homem, seja o lugar que for, você perceberá que ele olha pra cima. Alguns admiram as estrelas, outros os planetas, outros  as galáxias. Podemos  dizer  que  todos estes  buscam  não  essas coisas em si, mas algo maior que eles mesmos.

Nós viemos de Deus. Nossa alma sabe disso e o busca desesperadamente.  Assim como o celular prestes a descarregar    “ busca” por um carregador e uma tomada, nós buscamos uma energia poderosa. Assim como um sorvete derretendo sob o sol “ busca” um congelador para se refugiar, nossa alma percorre os universos tentando achar o belo, o grande, o poder, a força, a eternidade – Deus!

Nossos  pais adoraram  neste  monte, e vós dizeis que é em Jerusalém o lugar onde se deve adorar. (João 4:20)

Todas  as culturas manifestam alguma espiritualidade. Todos os povos tem alguma religiosidade. Isso  significa  dizer  que todos carregamos traços comuns. Até mesmo a não – religiosidade , ou a negação do divino, reflete algum tipo de espiritualidade. Existem ateus mais fanáticos e militantes que muitos  crentes professos mundo afora. Quando Deus ou deuses não são o alvo da adoração, o homem o será. Não se engane, somos todos  adoradores de alguém ou de alguma coisa. Porque temos  a necessidade  de nos  apegarmos  a  alguma coisa que nos dê algum sentido à vida. Alguns fazem deuses para si, os mais diversos e inumeráveis;  Outros se fazem de deus e se auto adoram. São  os  famosos narcisistas. E  ainda existem aqueles que  fazem de outro ser humano o alvo de toda sua admiração, contemplação e elogio. Sejam cantores, atores ou atrizes, maridos, esposas,  filhos,  enfim. Como diria Calvino : “ O coração humano é  uma  fábrica  de ídolos”.
Existe  um  altar em nossos corações e ele deve ser ocupado por Cristo Jesus. “Só ao Senhor teu Deus adorarás “. Cristo é Deus encarnado, é o reflexo e o resplendor de sua Glória. Nele habita corporalmente  toda a divindade. Jesus é a imagem que Deus deu aos  homens  para  ser cultuada. É o único “ídolo” permitido. Ele é , como disse Paulo, a imagem visível do Deus invisível.
No livro de apocalipse Cristo está entronizado e recebe adoração de toda criatura que se nomeia no universo. “ Digno é o cordeiro de receber honra e glória pelos séculos dos séculos,” cantam os seres espirituais. Cristo  foi  adorado  por Tomé, quando este o viu ressurreto : Senhor meu e Deus meu, disse o apóstolo atônito de admiração. Os reis magos fizeram uma longa viagem para encontrar aquele que era nascido rei dos judeus e quando o viram, disseram : “viemos adorá-lo”.
Leitor, entre nessa jornada. Busque  aquele  a quem tua alma almeja mais que o ouro e a prata. Teu Senhor é belo e formoso, mais  cheiroso  que unguento derramado. Ele  é forte e valente. Tua alma o deseja e você sabe disso quando sente fome de algo que não sabe descrever. É tua alma suplicando o pão que desceu dos céus. Sim, amigos, o Senhor Jesus é um banquete feito no deserto para almas famintas e sedentas por algo que não se corrompe  nem  se acaba.
“Viemos  adorá-lo”!  Que bela canção é essa na voz do escritor. Pura  poesia  feita no interior do espírito sincero. “ Viemos adorá-lo”. Aqui vozes coletivas se juntam num mesmo coral, porque Cristo é adorado tanto na solidão do quarto particular, como no conjunto daqueles que se unem em louvor ao Salvador. Isabel exultou quando sentiu sua presença, ainda uterina, mais tão poderosa quanto no mundo celestial! João Batista o adorou saltando dentro do ventre de sua velha mãe. Os demônios o “adoraram”,  quando  ouvindo o som da voz do Santo, o obedeceram e deixaram aqueles porcos em Gadara. Muitos se prostraram a seus pés, o reverenciando. Outros  beijaram esses pés  imaculados, ainda que sujos pela areia do caminho, e acharam ali um descanso tão profundo que até mesmo se esqueceram das atividades domésticas, como Maria, irmã de Lázaro.
“Oh, minha alma, regozija-te  em  Deus, pois ele é a tua salvação e o teu cântico. Bendize , ó minha alma ao Senhor! Cantai hinos em sua homenagem, porque tem feito grandes coisas. Bendito seja o Senhor, bendito seja o seu santo nome e exaltada seja  a  destra de seu poder!”
“Viemos  adorar aquele que é nascido Rei dos Judeus”. A quem você  tem adorado? A quem sua alma tem buscado pelos desertos da existência? – Cristo é um poço de águas profundas no mais terrível Saara. Quanto mais água se tira, mais água brota. Oh, amados, o Senhor é a antiga rocha ferida pelos hebreus e ele continua saciando a sede de adoração que temos. Quando o adoramos na beleza de sua santidade, nossa alma sacia sua sede infinita . Bendito seja Deus!
Aqueles  homens não adoraram Maria, nem José, nem nenhuma vaca que por ali podia estar ( eles estavam num estábulo). Eles foram bem claros : viemos adorar o menino!
“Portanto, guardai diligentemente as vossas almas, para amardes ao Senhor vosso Deus.”( Josué 23:11)
É  ao Senhor  que  devemos  venerar e somente a ele devemos prestar culto. Ainda que todos os apóstolos sejam grandes devotos e exemplos de piedade, jamais me prostrarei diante de ícones feitos em sua honra. Bem como não dirigirei  minhas preces a eles, nem a anjos, por mais santos que estes sejam, pois o mandamento é claro : “Orarás a Deus que ouve em secreto”. Não há nenhuma dúvida aqui. Se devemos orar somente a Deus, quanto mais adorarmos.
 É tão  triste  vermos  pessoas  ao  redor do mundo cultuado aquilo que não é Deus. Eles  em  sua busca pelo Pai, isto é, por satisfação e alegria e paz e amor e consolo e transcendência,  todavia cegos dos olhos espirituais, acabam cultuando vacas, elefantes, ratos, macacos, governantes, o Estado, o homem,  e tantas outras coisas que jamais os saciarão. Que o Senhor Jesus traga luz onde há trevas e que sua Graça se aloje nesses corações também.

Vamos adorar ao Senhor, porque foi ele que nos fez, foi ele quem nos formou, foi ele quem  nos salvou e morreu na cruz em nosso favor. Pelo seu sangue cantemos louvor, agora e para sempre. Amém!

segunda-feira, 16 de março de 2015

Como nos justificaremos?


Que diremos a meu senhor? Que falaremos? E como nos justificaremos? 
( Gn 44.16)

Por  Frankcimarks  Oliveira

Pretendo com esta mensagem :

1-   Demonstrar  que  todos  são  culpados diante de Deus;
2-   Demonstrar  que  o Espírito Santo se encarrega de convencer os homens de sua culpa.
3-   Revelar  a vontade de  Deus  em destruir  todo  senso de auto justificação que possa existir no coração humano.

Não  é fácil  convencer  alguém de seus próprios erros. O orgulho que habita em nossos corações sempre se levanta como uma serpente , pronta para atacar todo aquele que ouse confrontar  nossas  consciências. Deus odeia olhos altivos e corações  obstinados, por  isso ele mesmo se encarrega de esmiuçar  com  seu martelo todo senso de  justiça  própria  que  em  nós habita.

Usaremos como exemplo o caso dos irmãos de José, filho de Jacó.  Estes  homens  fizeram  uma maldade dupla no passado com seu irmão José, o traindo e o vendendo como escravo aos egípcios. E ao mesmo tempo enganaram seu velho pai, alegando que José  havia sido morto por animais no deserto.

O  tempo  passou,  José chegou a se tornar braço direito de Faraó, não  antes  de  muito sofrimento. Deus a seu tempo faz tudo perfeito. Chega a ser irônico ver  aqueles  que humilharam  José , agora  dependerem  dele  e  de seu favor. Por causa da fome que  houve  no  mundo antigo, seus irmãos desceram ao Egito para  comprar   alimento. Eles não reconheceram José, mas este os reconheceu. José  logo  tratou  de  armar  um  plano para tê-los por  perto. Aconteceu  que o seu copo fora posto propositadamente  em  um  dos  sacos de cereais que  seus  irmãos levariam  para Jacó. Tudo isso após um banquete que o próprio José  oferecera  a sua família.  Com  a vistoria dos sacos, o copo de José é flagrado e seus irmãos são acusados de traidores. Diante de José, Judá, aflito, confessa :

 Que  diremos a meu senhor? Que falaremos? E como nos justificaremos? Achou Deus a iniqüidade de teus servos; eis que somos escravos de meu senhor, tanto nós como aquele em cuja mão foi achado o copo.(Gênesis 44:16)
Judá entendia que Deus estava tratando do seu e dos pecados de seus irmãos que venderam José no passado. Essa consciência  culpada  é antes de tudo a voz de Deus, que é justo e santo, que fala no íntimo da alma humana.
Contra fatos não há argumentos! Infelizmente existem aqueles que são tão sínicos que até mesmo diante das provas mais evidentes negam sua responsabilidade e culpa. Estes já não possuem consciência.
Queridos, que Deus afine nossa sensibilidade interina para que possamos sempre nos arrependermos de nossos pecados. Triste é aquele que nem mesmo diante da voz do Eterno e diante das circunstâncias consegue confessar a verdade!
Que diremos a meu Senhor? Que falaremos e como nos justificaremos?- Sinta o drama dessas frases. Oh, leitor, Deus ama aquele que tem um coração contrito e que é humilde. Todavia, o orgulhoso Deus abate. Diante de Deus quebre seu coração e não dê desculpas, porque perdão só é dado para aqueles que não tem desculpas a dar.
Somos culpados diante de Deus porque o traímos assim como os irmãos de José. Nos levantamos contra sua bondade e seus mandamentos. Quebramos cada uma de suas leis. Se estamos vivos é porque sua misericórdia se renova a cada manhã. Mas quando o Espírito suspira suavemente em meu íntimo e me diz : Você tem culpa! – eu não revido, apenas concordo : sim, Senhor, é verdade! Quando o Consolador suavemente me visita e me constrange : Você sabe que pecou.- Eu não me justifico e não tento explicar nem muito menos desmenti-lo, eu simplesmente confesso : Pequei, somente contra ti pequei e fiz o que era mau aos teus olhos.
O  Senhor me convenceu completamente sobre a realidade do pecado, mas acima disso, me revelou Graça, assim como José a seus irmãos. A trama de José  fora apenas um pretexto para liberar perdão aquelas consciências culpadas e afligidas por seus atos. Aqueles homens não tinham paz. Eles sabiam o que tinham feito . O mal que causaram a Jacó foi enorme. Aquele velho já não tinha brilho nos olhos. José podia estar morto mesmo, talvez eles pensassem.
A graça libera perdão pra quem não merece! O Amor não guarda ressentimentos. José é um tipo de Cristo no velho testamento. Ele revela meu Jesus , cheio de graça e verdade, amando quem lhe fez mal e rogando ao pai que lhes perdoe, pois não sabem o que fazem. O mal feito a José foi pago com bem por este.
Oh, irmãos, que sejamos transformados a imagem de Jesus. Liberemos graça e perdão a nossos amigos, inimigos. Sejamos misericordiosos e alcançaremos misericórdia. Deus transformou o mal em bem, então demos o bem de volta. Tudo contribui para nosso bem, até as facadas que nos dão pelas costas.

Diante de Deus todos são maus. Só Deus é bom. Diante de Deus não existem santos, pois só ele é santo. Diante de Deus não existem justos, apenas justificados e perdoados. Antes de tudo, que nossa consciência esteja bem apurada de quem somos. Assim saberemos  tratar melhor os outros.

Não  tenha  dúvidas disso, se Deus nos ama, então ele nos mostrará toda  sua  verdade. E ela começa assim : todos pecaram! Todos merecem morrer! Quando Deus perdoa, ele está apenas sendo misericordioso. Não  está de forma alguma, obrigado a isso. José  poderia muito bem se vingar de seus irmãos, visto que ele estava no poder. Mas o coração de um homem sarado por Deus não se deixa vencer pelo poder que possui. Jesus tem todo o poder e nem por isso vive abusando dele. Antes, vejo o Senhor  usando todo o seu poder para distribuir toda sua graça e bondade, até mesmo para aqueles que o negam. O Senhor é bom até mesmo com os ingratos!

Jesus  nunca  se  orgulhou de sua posição privilegiada nos céus. Era o rei da glória e se tornou um carpinteiro, pobre , que não tinha nem onde reclinar a cabeça. Deus todo poderoso quis mostrar fraqueza e não majestade. Entenda isso e tente dormir com  tanto  barulho na cabeça, leitor.

José podia, mas não quis punir seus irmãos. Jesus pode, mas não quer que nenhum dos seus se perca, por isso ao invés de exigir vingança na cruz, ele clama por perdão : Pai, eles não sabem o que fazem. Se alguém podia orar por justiça, essa pessoa era Cristo. Mas ele abriu mão desse direito e trocou por perdão. Gratuitamente, ele escolheu nos amar.

Cristo é a  justiça  que  não  podemos  produzir. Como disse Jó : Se eu me justificar, a minha boca me condenará; se for perfeito, então ela me declarará perverso. (Jó 9:20) Não se justifique, pecador. Tu és um ladrão, és um cobiçador , és avarento, idólatra, falador, ingrato, murmurador, mentiroso. E tudo aquilo que o Espírito disser. Essas santas acusações não são para nos condenar, mas  para  nos empurrar para aquele que apaga pecado.
Que desculpa você pode dar a Deus , amigo? Que palavras usarás para convencer a Deus que tu és inocente? Será que o Senhor se deixará persuadir por uma pessoa tão limitada? Será que Deus não tem argumentos bastantes para te condenar? Apenas confesse como Judá : Senhor meu, que direi eu a ti? O que falarei e como me justificarei? – Também disse Davi: Pequei. Ele não fica argumentando com Deus, apenas abaixa a cabeça e confessa sua culpa.
Se não somos pecadores, Cristo não pode ser chamado de Salvador. Se não somos culpados, então Cristo não pode ser chamado de Justo e inocente. Se negamos que pecamos, fazemos Deus mentiroso, porque Deus mesmo testemunhou que pelos pecados Cristo veio ao mundo. Amém.


terça-feira, 3 de março de 2015

A Graça de Cristo

Cremos  que  seremos  salvos  pela  Graça do Senhor Jesus Cristo 
( At 15.11)

Por  Frankcimarks  Oliveira
Pretendo com esta mensagem :

1-   Demonstrar que a salvação é pela graça de Deus;
2-   Ressaltar o credo apostólico
3-   Analisar a crença popular e a verdadeira fé salvívica.

Martinho Lutero foi um homem muito importante para a Reforma protestante na Europa. Uma doutrina em específico despertou seu coração, de tal maneira que o mundo sofrera grandes mudanças em seu modo de entender e interpretar a vida. Falo principalmente do mundo ocidental.

A salvação  pela graça de Deus parece a princípio uma doutrina óbvia, todavia, não é bem assim. O Ser humano por natureza  vive  sua vida baseado em méritos e conquistas pessoais. Contudo, o  cristianismo,  de  um  modo bem particular, demonstra que tudo o que existe, existe pela graça divina. Deus está  sendo extremamente gracioso com os homens, retendo sua ira pelos nossos pecados. Não somente isto, o mesmo Deus descarregou sua cólera sobre seu unigênito, dando este como substituto  do pecador, para salvá-lo e livrá-lo de si mesmo.

Cristo Jesus  foi  o único homem que não mereceu morrer e sofrer em vida. Ele  agradou  a Deus em tudo. Porém, o próprio Jesus bradou : “Meu Deus, por que me desamparaste?” – O desamparo sofrido por Cristo, possibilitou nosso abraço por parte de Deus. Assim, podemos dizer, que Deus não é injusto quando salva pessoas como nós, pecadoras e indignas do céu, visto que em sua sabedoria, Deus está satisfeito com aquilo que Jesus realizou em nosso lugar. Logo, chamamos de Graça, mas a salvação custou  muito caro para Deus.

Infelizmente, a mente corrompida do homem demora para entender a lógica divina. Na verdade, sozinho o ser humano nunca alcançará a mente do Senhor. Não importa se ele é intelectual, filósofo, cientista. O homem  tem  recusado  ao longo da história a graça do Salvador, pois , acostumado em obter tudo “ sozinho”, ele  também  acha  que  é  possível  subir  ao céu sem Deus.

Amados, a religião ensinou e tem ensinado às pessoas que o que salva o perdido é aquilo que ele faz.  No Budismo se chega ao Nirvana através de muita meditação e esforço pessoal; No espiritismo, o carma é quebrado através da evolução moral e da prática  de boas obras. Para isso é necessário diversas reencarnações. No Islamismo, o paraíso  é um prêmio para aqueles que honram o nome de Alá através do martírio; No catolicismo, as almas necessitam ser purgadas para então subir à presença de Deus. Antes, ensinava  sobre o poder das indulgências e de como o céu poderia ser comprado. Hoje, a Igreja  protestante, principalmente  as  neopentecostais, ensinam as mesmas coisas, isto é , uma  salvação e relação com Deus que depende  muito do que é feito pelo crente. Ora, os judeus criam que a  observância  da  lei  era  suficiente  para  ganhar o carinho e o favor divino.

Você percebe  que  todas  elas  recaem sobre as obras humanas? Parece  que  Deus está crendo que o homem, mau como ele só em seu interior, seja  capaz  de  fazer alguma coisa digna de merecer o céu. Não nos enganemos, se  Deus  mesmo não edificar a casa, envão trabalham os que a edificam. Nossa salvação depende  completamente  daquele  que a  planejou.

Não é guardar o sábado que me salvará da Ira vindoura. Não é guardar os dez mandamentos que me livrará do fogo divino. Não é ir a uma igreja semanalmente que me fará apto para o céu. Não é ler a bíblia  diariamente  que  me tornará digno do reino celestial. Não é  professar dogmas ou guardar costumes que me fará melhor diante dos anjos de Deus. Não é ter uma aparência religiosa e esteriotipada que me fará diferente das demais pessoas ( Deus conhece os corações). Não é ouvir música gospel e consumir produtos cristãos que me farão uma pessoa melhor. Não é deixar de andar e conviver com o “ímpio” que me fará ser mais amado pelo Pai. Não é frequentar instituições de caridade e fazer boas obras que me fará ter crédito com o Eterno. A única coisa que me faz justo diante do Senhor Deus é a fé Nele. Crer contra a esperança. É olhar para Cristo e ver Nele completa e suficiência graça , capaz de apagar uma multidão de pecados.

Eu confesso que olho para mim mesmo e vejo agir no meu corpo uma lei que me condena. Todavia, eu torno a olhar para Jesus, e me lanço nele, crendo que através dele outra lei mais poderosa atua em minha alma : a lei da graça e do perdão. A verdade é que diante dos homens, principalmente dos religiosos, eu mereço ser apedrejado. Mas Cristo me diz outra coisa. Sim, seu evangelho me fala : Fique em paz, filho! Eu estou aqui.

Oh,  queridos ,  como  é  bom  ter  Cristo  por  perto ! O barulho dos falatórios não me causam nenhuma ansiedade mais. “Deixe que falem” , disse Jair Rodrigues, e eu digo o mesmo. Maior é a mão que me protege do que a mão que me apedreja! Cristo é meu escudo  e broquel!  Todos  os dardos inflamados do Maligno caem por terra diante do meu Senhor! Eu  serei  salvo por sua graça e estou crendo nisso, convictamente, firmemente. Creio como Abraão, que mesmo velho e impossibilitado de ter filhos, esperava  um herdeiro. Sim, o  Senhor  não  vê como vê o homem. Digo como Davi “Ainda que a minha casa não seja tal para com Deus, contudo estabeleceu comigo uma aliança eterna, que em tudo  será  bem  ordenado  e  guardado, pois toda a minha salvação  e  todo  o  meu  prazer está nele, apesar de que ainda não o faz brotar.( 2 Samuel 23:5)
Não  precisamos  nos submeter aos antigos ritos judaicos, como a circuncisão, ou dietas rígidas, para nos acharmos limpos na presença do Senhor. É seu sangue puro que nos torna alvos como a neve. Não precisamos de mediadores, como os antigos sacerdotes judeus, pois temos a Cristo, o sumo pastor das almas. Também não precisamos de templos religiosos, como os judeus tanto amavam. Pois no céu João não viu nenhum templo, pois o cordeiro é nossa habitação e nossa luz. Cristo e sua graça é tudo que precisa um pecador. Olhe para ele, meu querido leitor. Confie no teu Senhor. Ele  é fiel e  completamente terno em amor. Sua bondade dura de geração em geração. Confie em Jesus, ainda que sua vida não seja tal para com Ele. Confie nos méritos dele , do teu salvador. É isso que nos diferencia das demais pessoas ; termos  uma esperança tão sólida Nele que nem mesmo as mais fortes evidências de condenação nos fazem  perder a esperança em seu precioso nome. Eu creio no Senhor e creio que serei salvo por sua graça. Que Ele complete sua obra em nossas vidas e que sua força seja dada a seus filhos. Se o Senhor não vier conosco, não nos faça subir deste lugar, disse Moisés. E agora nós dizemos : Se tua graça não for conosco, de nada adianta irmos a templos, orarmos e jejuarmos, lermos tua palavra e nada do tipo, pois somos salvos pela graça e por ela somente.
Sola gratia! Amém.