sábado, 7 de maio de 2011

Banquetes Espirituais


Vão as esquinas e convidem para o banquete todos os que voces encontrarem Então os servos saíram para as ruas e reuniram todas as pessoas que puderam encontrar, gente boa e gente má, e a sala do banquete de casamento ficou cheia de convidados ( Mt 22:9,10 )

Estudo Por Frankcimarks Oliveira


1-O Banquete no Deserto(Ex 16.3,4,13,14)
2-O Banquete de José, governador do Egito(Gn 43.16,25,31,33,34)
3-O Banquete de Boaz(Rt 2.8,9,14)
4-O Banquete de Ester( Et 5.4-8; cap. 7)
5-O Banquete de Nabucodonosor/Daniel( Dn 1.5-8)
6-O Banquete de Belsazar ( Dn 5.1-4)
7-O Banquete do Cordeiro( Ap 19.7-9)

Amados leitores do blog, o tema do qual iremos abordar é extremamente profundo e extenso, e de significado espiritual muito rico para nossas vidas. Portanto, que possamos atentar com mais diligência para o estudo acima.

Poderíamos falar de tantas passagens bíblicas que falam sobre banquetes, mas aqui nos limitaremos a estes sete e veremos o que cada um significa.
Deus é um Deus que deleita-se em "banquetes" e é o mesmo Deus que prepara um banquete para aqueles que são fiéis a Ele.

Banquete é uma festa para muitas pessoas, uma grande refeição.

Vemos Deus fazendo um banquete no deserto para seu povo que havia acabado de sair do Egito. O Povo reclamava que estava com fome, diziam que no Egito a vida era melhor, culpavam a Deus e diziam que morreriam no deserto para vergonha do Deus de Israel.



Deus ouviu tudo, cada murmuração, e então resolveu mostrar que é Deus de propósitos firmes e fiel a sua palavra, manda comida com abundância, uma alimentação diferente daquela que os hebreus estavam acostumados a comer no Egito.
Deus fez chover pão do céu e enviou codornizes para sustentar seu povo, mesmo sendo um povo infiel e murmurador.

O Banquete no deserto é o banquete da providência divina e da fidelidade do Senhor.Com certeza já vivenciamos este banquete espiritual. Mesmo não merecendo os presentes de Deus, mesmo nos achando faltosos para com nosso Pai celestial, Ele supriu todas as nossas necessidades.

José, filho de Jacó, também viveu em sua história um banquete preparado pelo Senhor. Todos nós sabemos o quanto José sofreu nas mãos de seus irmãos invejosos, foi vendido como escravo para o Egito pelos mesmos e passou poucas e boas longe do velho Jacó.

Mas o tempo passou e José tornara-se o Governador da maior potência mundial da época. Uma fome assolava a terra e fez com que seus parentes viessem atráz de socorro na terras egipcias.

Depois de forjar algumas situações, chega o dia em que José decide jantar com seus irmãos. E que dia ein? O menino que fora humilhado, agora era o homem capaz de livrar sua família da morte.



O banquete de José é o banquete da exaltação divina, é o banquete da misericordia. É o momento em que Deus nos consola e nos faz agir de forma digna, exercendo misericordia para com aqueles que nos fez mal.

José fora recompensado por sua fidelidade, mesmo em terras pagãs. Deus é aquele que nos honra, quando somos fiéis no pouco, ele nos coloca no muito. Deus nos retribue com sua bondade.

Posso chamar este banquete também de "o banquete da Reconciliação" ou da restituição. Depois disso José consegue reunir toda sua família debaixo de sua proteção. Só Deus faz isso mesmo...Glórias a Deus!


Rute foi uma moça viúva, moabita, que amava sua sogra, a tinha por mãe e acreditava no Deus de Noemi. Rute deixara tudo quanto tinha em Moabe para acompanhar sua velha sogra a sua terra natal.

Ela se esforçava para sustentar Noemi e foi num desses dias que ela vivenciou a graça de Deus em sua vida. Deus preparara para Rute um banquete maravilhoso. Nos campos de Boaz, a viúva moabita pôde fartar-se de toda a bondade do todo Poderoso:

E, levantando-se ela a colher, Boaz deu ordem aos seus moços, dizendo: Até entre as gavelas deixai-a colher, e não a censureis.(Rt 2.15)

Boaz facilitava o trabalho de rute: E deixai cair alguns punhados, e deixai-os ficar, para que os colha, e não a repreendais.(v.16)

Sabemos que uma estrangeira não era bem vinda entre os israelitas, porém Rute achou graça aos olhos de Boaz, pois este sabia o quanto Rute amava Noemi e o quanto se esforçava para ajudar sua sogra:

E respondeu Boaz, e disse-lhe: Bem se me contou quanto fizeste à tua sogra, depois da morte de teu marido; e deixaste a teu pai e a tua mãe, e a terra onde nasceste, e vieste para um povo que antes não conheceste.(v.11)

O Banquete de Rute
é o banquete da Retribuição divina. Este banquete é aquele que recebemos como galardão do Altíssimo por nossos bons frutos.
O Banquete de Rute é o banquete da Consolação divina, pois Deus consolara tanto Rute como Noemi, pois estas receberam com fartura dos frutos da terra. Deus é Fiel!

E, sendo já hora de comer, disse-lhe Boaz: Achega-te aqui, e come do pão, e molha o teu bocado no vinagre. E ela se assentou ao lado dos segadores, e ele lhe deu do trigo tostado, e comeu, e se fartou, e ainda lhe sobejou.(V.14)

Todos conhecemos a história de Ester, que fora feita Rainha por Deus, para dar um grande livramento a seu povo.


Ester ficara sabendo que havia um homem chamado Hamã que odiava seu povo judeu e fazia planos de exterminar da terra essa raça" maldita", segundo o próprio Hamã.
Por causa disso, Ester decide convidar seu espodo, o Rei, e seu braço direito, Hamã para um banquete. A festa ocorre por alguns dias e a rainha tinha dito ao rei que lhe faria um pedido- revelação.

Finalmente a rainha conta ao rei que Hamã queria matar o homem que lhe havia livrado da morte tempos atrás, Mardoqueu, tio de Ester. Tal revelação levanta a ira do rei, que determina que Hamã seja enforcado na forca que fizera para Mardoqueu.

O Banquete de Ester
é o banquete do livramento, do escape. É Neste banquete que Deus nos dá sabedoria e estratégias para que possamos escapar das ciladas do inimigo.

Posso chamar este banquete de" o Banquete da Sabedoria divina"


Não posso deixar de mencionar a história de Daniel e seus amigos nas terras de Babilônia. Foi lá que Daniel e seus companheiros, ainda jovens, vivenciaram o banquete da força divina. Daniel percebera que vale a pena rejeitar os banquetes do rei deste mundo para viver o milagre do Deus dos Céus.


Aqueles jovens puseram em seu coração não se contaminar com as iguarias do Rei Nabucodonosor, pois sabiam que cada refeição servida era apresentada aos ídolos pagãos do ímpio imperador.

O Banquete de Daniel é o banquete dos suprimentos divinos, afinal, Deus supriu as forças dos Jovens e eles aparentavam estar mais belos e formosos a vista.
O Banquete de Daniel é o banquete do testemunho e da renuncia das coisas que aborrecem a Deus.

Posso chamar o baquete de Daniel de " o banquete da saúde divina".


Percebemos que numa mesma passagem dois banquetes: um de Nabucodonosor e outros dos jovens hebreus. Duas atitudes distintas. O Banquete da idolatria e das falsas honrarias e o banquete da pureza espiritual, da força que Deus supre na vida dos que são fiéis e dão bom testemunho.

E o rei lhes determinou a porção diária, das iguarias do rei, e do vinho que ele bebia, e que assim fossem mantidos por três anos, para que no fim destes pudessem estar diante do rei.
E entre eles se achavam, dos filhos de Judá, Daniel, Hananias, Misael e Azarias;
E o chefe dos eunucos lhes pós outros nomes, a saber: a Daniel pôs o de Beltessazar, e a Hananias o de Sadraque, e a Misael o de Mesaque, e a Azarias o de Abednego.
E Daniel propôs no seu coração não se contaminar com a porção das iguarias do rei, nem com o vinho que ele bebia; portanto pediu ao chefe dos eunucos que lhe permitisse não se contaminar.
Ora, Deus fez com que Daniel achasse graça e misericórdia diante do chefe dos eunucos.(Dn 1.5-9)




Depois de Nabucodonosor vemos um homem tirano e pecador prostituir-se com as coisas sagradas de Deus. Belsazar, também rei de Babilônia, apropria-se dos vasos da casa de Deus para beber vinho na presença de seus convidados em um banquete imundo:

O rei Belsazar deu um grande banquete a mil dos seus senhores, e bebeu vinho na presença dos mil.
Havendo Belsazar provado o vinho, mandou trazer os vasos de ouro e de prata, que Nabucodonosor, seu pai, tinha tirado do templo que estava em Jerusalém, para que bebessem neles o rei, os seus príncipes, as suas mulheres e concubinas.
Então trouxeram os vasos de ouro, que foram tirados do templo da casa de Deus, que estava em Jerusalém, e beberam neles o rei, os seus príncipes, as suas mulheres e concubinas.
Beberam o vinho, e deram louvores aos deuses de ouro, de prata, de bronze, de ferro, de madeira, e de pedra.(Dn 5.1-4)


O Banquete de Belsazar não fora feito pelo Senhor, mas por um homem que não conhecia o Deus Todo Poderoso e que escarnecia Dele como se ele fosse como um de seus deuses de barro.
Belsazar quis tirar a glória de Deus, o verdadeiro Deus, para dar a deuses estranhos. Deus não se deixa escarnecer!

Posso chamar este banquete de" o banquete do escarnecimento", da afronta a Deus, ou até mesmo" a festa da carne".
Quando um homem procura contender com Deus, ele sempre sairá envegonhado perante todos.

Belsazar perdeu seu trono de forma vergonhosa porque quis tirar a glória de Deus. Prostituiu-se com coisas sagradas e quis profonar o nome daquele que é mais sublime que os céus.



E por fim o Banquete do Cordeiro:

Regozijemo-nos, e alegremo-nos, e demos-lhe glória; porque vindas são as bodas do Cordeiro, e já a sua esposa se aprontou.
E foi-lhe dado que se vestisse de linho fino, puro e resplandecente; porque o linho fino são as justiças dos santos.
E disse-me: Escreve: Bem-aventurados aqueles que são chamados à ceia das bodas do Cordeiro. E disse-me: Estas são as verdadeiras palavras de Deus.(Ap 19.7-9)


Este é o banquete da alegria eterna, de galardão, de recompensa divina, o banquete da comunhão plena e perfeita com o salvador.
Posso chamar este banquete de" O Banquete da Redenção ".

Vimos:

1-O Banquete da fidelidade
2-O Banquete da misericórdia, reconciliação, exaltação;
3-O Banquete da retribuição e consolação;
4-O Banquete da sabedoria e do livramento;
5-O Banquete da saúde, testemunho e da renúncia;
6-O Banquete da idolatria, rebeldia,afronta, escárnio,e do pecado;
7-O Banquete da Redenção, alegria eterna, comunhão plena.

Em breve mais estudos sobre banquetes...Paz do Senhor!

Nenhum comentário:

Postar um comentário